Julgamento dos leigos adventistas em Angola: Kalupeteka começa a ser ouvido e nega homicídios

“Só vi fumo e poeira” – Kalupeteca

Julgamento dos leigos adventistas em Angola: Kalupeteka começa a ser ouvido e nega homicídios

“Eu apenas queria entender porque que no folheto do censo na opção das igrejas a minha igreja não estava”

O Juiz presidente do tribunal do Huambo, Afonso Pinto, que julga José Julino Kalupeteca e mais nove réus, quer saber de Kalupeteca, a sua envolvência no caso.

Afonso Pinto questionou o líder da “Luz do Mundo” sobre a data e motivo da criação da igreja e se a sua congregação religiosa “agitava” fiéis a não participarem em campanhas de vacinação, registo eleitoral e no senso populacional.

O líder da igreja negou categoricamente o seu envolvimento nos confrontos do Huambo e do Bié. Kalupeteca afirmou que não deu ordens aos fiéis da sua antigos igreja para se confrontar contra os agentes da ordem: “Apenas tomei conhecimento dos acontecimentos no Bié quando me solicitaram a viatura para apoiar o Luís”, responsável da igreja do Bié que morreu na altura.

Em relação ao censo, Kalupeteca respondeu: “Eu apenas queria entender porque que no folheto do censo na opção das igrejas a minha igreja não estava lá”, afirmando que após esclarecimento do vice-governador para esfera económica e social, Guilherme Tuluca, mandou os seus fiéis se registarem mas colocando o X na opção “sem religião”.

 "Eu apenas queria entender porque que no folheto do censo na opção das igrejas a minha igreja não estava"

Kalupeteca garantiu nunca ter proibido os fiéis registarem-se.

Em relação aos factos do Monte Sume, Kalupeteca disse: “Apenas vi fumo e poeira” disse. O líder da “Luz do Mundo” explicou que quando a polícia chegou vinham quatro grupos.

“Quando o comandante chegou eu estava a rezar e quando o comandante chegou perguntou se você é o Kalupeteca, eu respondi que sim mas daí para frente não vi mais nada era mesmo só fumo e poeira” contou.

A audiência continua nesta Sexta-feira, 22, ainda na instância do juiz, para depois passar para instância do ministério público e só assim é que os advogados poderão interrogar também José Julino Kalupeteca.

Fonte: http://www.voaportugues.com/content/so-vi-fumo-e-poeira-kalupeteca/3156587.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *