Acusação de roubo entre os pastores adventistas no tribunal de Angola

Adão Alfredo Dala, um dos sete arguidos, revelou ontem, em Tribunal, que que o pastor da Igreja Adventista do 7º Dia Daniel Cem não tinha credibilidade entre os fieis, por se ter roubado dinheiro dos fieis do templo da Regedoria, em Viana, onde era o líder espiritual.

O réu, que exerce o cargo de secretário nacional da juventude da referida igreja, declarou, à instância do juiz da causa, que por esta razão o pastor foi expulso pelos fiéis daquela comunidade.

Indagado pelo juiz-presidente, João Francisco António, em que ano ocorreu tal crime e em que circunstancias tomou conhecimento, respondeu ter sido em 2010 ou 2011, e que ouviu na igreja.

REU DEMARCA-SE DO RAPTO DO PASTOR DO SETIMO DIA

Um dos indivíduos acusados do rapto do pastor da Igreja Adventista do 7º Dia foi ouvido ontem na sala de audiências do Tribunal Municipal do Kilamba Kiaxi e negou tal participação, tendo refutado que tomou conhecimento da situação por meio do irmão da vítima

Opinião de membro da IASD: Navegando e marés turbulenta

Em primeiro lugar, gostaria solidarizar e subscrever o comunicado da União Angolana dos Adventistas do Sétimo dia referente ao processo judicial em curso em que são réus pastores da igreja e para piorar figuras de proa.

Segundo o comunicado e ao que subscrevo, devemos manter a serenidade e em espírito de oração permitir que tal situação seja esclarecida o mais rápido possível a fim de permitir que a Igreja prossiga com os seus objetivos mais nobres consagrados na missão envagelistica.

No entanto e apesar de tudo, afigura_ se de todo importante que a presente situação nos remeta á.uma reflexão profunda de como a igreja tem sido gerida e a conduta dos pastores face a obra a que os mesmos de forma voluntária se propuseram trabalhar.

Talvez seja esta uma oportunidade que temos para de forma aberta e frontal assumimos os nossos fracassos e encontrar soluções preventivas de situações que colocam e comprometem o seguimento da obra. Os nossos líderes adventistas há muito que deixaram de servir ao Senhor é isso está patente em nossas igrejas.

Há muito que pastores assumiram determinadamente o caminho do sucesso material. Atingir o topo é hoje o alvo de quase todos os pastores, repito quase todos. Essa realidade contrasta a natureza servil dos que são chamados a servir o Senhor.

Por lado, esta postura lança o espírito de competitividade que hoje infecta os nossos líderes adventistas. Pastores desenvolvendo actividades que entram em claro conflito de interesse com os objectivos pelos quais foram alistados.

De forma geral, devemos acautelar que haja na igreja os mesmos somos problemas que se constatam no mundo político tais como a corrupção a impunidade e o nepotismo.

Como pode um pastor chegar a cargos de topo sem que passe pelos escalões de base onde ele deveria ser moldado no espírito de humildade e mansidão tal.como o Senhor fizera com Moisés?

Com todo o respeito.qie temos pelos nossos líderes adventistas, eu ainda.entendo que, entre acusados e acusadores prevalece a falta do rigor que ambos demonstraram na gestão da sua profissão.

Haja o que houver a igreja irá continuar e poderá contar com o melhor de seus membros que ao contrário de muitos pastores gostaríamos transformar a igreja num lugar onde os aflitos e necessitados encontram o alívio para suas almas e dores.

2 comments on “Acusação de roubo entre os pastores adventistas no tribunal de Angola
  1. Não subscrevo o comunicado da União Angolana dos Adventistas do Sétimo dia, pela sua total incoerência:”Apela a um julgamento parcial, no entanto, o comunicado é parcial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *